Como a Síndrome do Impostor pode atrapalhar seu Resultado em Concurso

Eu espero sinceramente que você me perdoe, porque o fato de eu ter deixado de escrever com frequência, falando sobre Concursos Públicos, Produtividade e Motivação, tem 2 razões muito plausíveis que tem a ver com a nossa mentalidade para Concurso Público e, sei que você vai entender!

 

Quero que você se ATENTE seriamente para 2 pontos cruciais.

 

Deixa antes eu só explicar que a minha razão pessoal para ter sumido é o primeiro ponto que destaco, no entanto a segunda razão é a mais importante: ALERTAR você, e é isso que me motiva a voltar com toda a minha força, sobre essa impiedosa Síndrome, que destrói muitas carreiras de sucesso, tanto públicas como também privadas.

 

Não sei se você já ouviu falar da chamada Síndrome do Impostor e, como ela pode estar ATRAPALHANDO o seu desempenho em Concursos Públicos e, sobre o que falaremos em nossa “2ª Razão”.

 

1ª RAZÃO (Minha Culpa) – NOS DESVIAMOS NO CAMINHO

 

Eu “sumi” porque TODOS NÓS fazemos isso quando nos distanciamos de coisas que nos dão alegria e resultados e, algumas vezes fazemos isso sem perceber!

 

Nos envolvemos em afazeres de pouco em pouco e, vamos perdendo o time=tempo e, quando vemos o dia passou e aquilo que era para ser feito, não foi! E, o pior de tudo isso é que na maioria das vezes não tem como recuperar esse tempo perdido.

 

Precisamos perder, para valorizar.

 

E, este perder pode ser a leitura daquele exato tópico que você pulou conscientemente e, quando vê, é justamente ele que cai na sua prova.

 

Neste caso você sabe que pulou o assunto do Edital, porque você se lembra disso, às vezes até com detalhes, mas não sabe o conteúdo ou o conceito, só por ter escolhido não ler atentamente o que deveria para acertar com tranqüilidade e rapidez aquela questão.

 

Eu me distraí em alguns projetos pessoais e profissionais e, nesse período ajudei inúmeros jovens empreendedores a encontrarem o seu propósito e os seus porquês. Dei Palestras, Cursos, Treinamentos. Viajei, conhecendo algumas Prefeituras que já empregam o modelo de Escola de Governo, promovendo capacitação para Servidores Públicos.

 

Ah! Fui convidada para compor mais uma vez o Serviço Público como Servidora Comissionada para desenvolver o projeto de Implementação da Escola de Governo na Prefeitura de Lins – São Paulo.

 

Enfim… Acredite ou não, nesse período eu prestei Vestibular e já estou Fazendo uma Nova Faculdade além do Direito que é a minha formação, a Faculdade de Psicologia, só porque eu quero me aprofundar ainda mais nas questões relativas à mente humana e, te ajudar ainda mais com isso, tudo sem levar em conta que após os 45 anos de idade os compromissos aumentam e o nosso tempo diminui.

 

Por isso tudo que lhe contei (e, olha que tem até mais coisas… rs) é que eu espero que você me perdoe e aceite o desafio de recomeçarmos o projeto de ajudar você chegar ao topo da lista dos Classificados em seu Concurso o quanto antes.

 

Agora… Você pode ficar de queixo caído com a 2ª Razão!

 

Confesso que ainda que eu não acredite que tenha sido uma das causas do meu sumiço, estudando isso a fundo, percebo que não posso descartar essa hipótese!

 

2ª RAZÃO (De quem é a Culpa?) – A SÍNDROME DO IMPOSTOR

 

A Psicóloga britânica, Rachel Buchan, descreve a Síndrome do Impostor como sendo uma “Crença Interior de que você não é bom o suficiente para alguma coisa, ou que não pertence a determinado lugar.”.

 

Se você assistiu ao 1º Congresso Nacional da Produtividade em Concursos, se assistiu especialmente a minha Palestra no Congresso, é possível que você se lembre de algo que eu repito sempre:

 

“Você não é Concurseiro, você é o Cargo que deseja ter!”.

 

Eu não tinha ouvido falar dessa Síndrome do Impostor e confesso que mesmo sem conhecer o conceito, eu já trabalhava meus clientes para combater os efeitos nocivos dela.

 

Se o seu desejo é ser um Oficial de Justiça, por exemplo, é vital que você se veja e se perceba, SUFICIENTEMENTE BOM para aquele Cargo!

 

Entende isso?

 

Você precisa vencer qualquer sentimento de que tal cargo é muita coisa para você, ou que é grande demais para a sua realidade.

 

Jaqueline é uma jovem de 28 anos que me procurou para atendimento e me relatou, em uma das sessões, que a mãe, apesar de ajudá-la a pagar o cursinho, vez ou outra soltava a seguinte pérola:

 

“Filha, será que você não está tentando dar um passo maior do que a sua perna?”.

 

A razão da frase é porque Jaqueline pleiteia um cargo na Magistratura do Estado de São Paulo, mesmo sendo de família humilde, já que a mãe é separada do pai, a quem não vê há mais de 6 anos e, toda a renda da casa provem, na maior parte, de doces e bolos caseiros que a mãe faz para vender.

 

Jaqueline atua em um pequeno escritório e, o que ganha é pouco, comparado ao Concurso que deseja, mas as palavras da mãe às vezes pesam muito devido à ligação que têm e, o seu maior dilema é:

 

“Mantenho meu desejo pela Magistratura ou tento escrevente do TJ – Tribunal de Justiça, mesmo?”.

 

Ora, falei isso também no Congresso!

 

Você tem duas opções quando se trata de definir o que fazer!

 

Você pode se focar inteiramente para o cargo que deseja e só olhar e se dedicar a ele, como também pode estudar focada nele e, no caminho… “SE DESVIAR RAPIDAMENTE e SEM prejuízos” em alguns cargos que tenham correlação de matérias. Só não reduza o seu sonho por influência alheia, assumindo uma pequenez que você não tem.

 

É o que eu chamo da Técnica da Baleia que engole o Peixe.

 

O seu Concurso maior, aquele dos seus sonhos, que pode lhe dar um vencimento de mais de 20 mil reais, como é o caso da Magistratura, pode ser o seu objetivo. Ele será a sua BALEIA.

 

No caminho, porém, sem pressão ou ansiedade, você pode fazer concursos menores que por ventura abram inscrições. Tenha-os como se fossem testes, simulados! Esses concursos menores, com salários menores, podem ser o seu PEIXE.

 

A pergunta chave é:

 

A matéria do menor, está contida no maior?

 

Se SIM… Então vá!

 

Se NÃO… e tem dinheiro sobrando… vá também.

 

Essa é uma hipótese razoável se você não tem recursos financeiros bastante para subsistir de forma confortável até atingir o seu objetivo.

 

Além do mais, há um fator psicológico em jogo que te remete a 3 sentimentos importantes e positivos para FORTALECER o seu rendimento no concurso futuro, quais sejam:

 

  1. Você se sentirá vitorioso caso seja aprovado e classificado.
  2. Você ficará mais seguro sabendo que será remunerado.
  3. Você está subindo a escada e isso te dará motivação.

 

Jaqueline aprendeu a filtrar algumas frases que inconscientemente a levaram para se sentir uma Impostora tentando um cargo tão alto, na visão da mãe dela, que repetia isso pensando no “bem” da filha.

 

Jaqueline, porém, pensa grande!

 

Acho que você também!

 

E, isso é maravilhoso!

 

Pois, pensando assim, grande, é que vemos filhos de domésticas se formando como médicos, filhos de cozinheiras se tornando Juízes de Direito ou outros cargos mais.

 

E, você?

 

O que você já ouviu dizerem sobre o Cargo que você pleiteia?

 

Deixe seu comentário